Você quer vacinar seus filhos? Ou não? Tomar a decisão se deve ou não vacinar o seu filho é difícil. Não é uma opção que deve ser tomada de ânimo leve. É importante investigar e descobrir o cuales são os verdadeiros problemas e tomar uma decisão informada.

Eu já decidi não vacinar minha filha depois de pesquisar o assunto e conclui que os benefícios da vacinação não são maiores do que os riscos. E os riscos podem ser extremamente graves.

Aqui estão seis razões sucintas para não vacinar seus filhos. Esta não é uma lista exaustiva. Pode ser usado como ponto de partida para aprofundar. Se você tomou a decisão de não vacinar, você pode passar essa informação à família e aos amigos que podem ter dúvidas.

  1. As vacinas podem causar ferimentos em crianças
    Este é o tema central para mim e para a maioria dos pais que optam por não vacinar e é bastante simples. As vacinas não são seguras e as crianças sofrem feridas. Defensores das vacinas afirmam repetidamente que as vacinas são seguras, embora possam se encontrar inúmeras histórias sobre crianças que sofrem de lesões de vacinas na literatura anedótica e científica.

    As vacinas têm efeitos adversos. Dr. Joseph Mercola escreve : Como eu sempre disse, e do Instituto de Medicina (IOM) agora suporta: “As vacinas não são sem efeitos colaterais, ou “efeitos adversos”

    Esta admissão veio após uma revisão de mais de 1.000 estudos de vacinas, que foram desenhados para avaliar a evidência científica na literatura médica sobre os eventos específicos adverso associados com oito vacinas: sarampo, caxumba, rubéola (MMR); varicela (catapora); gripe; hepatite A; hepatite B; HPV; difteria, tétano, pertussis acelular (DTPa); e meningocócica.  O Institudo de Medicina IOM seleciono para eventos adversos aqueles para os quais as pessoas tinham apresentado reivindicações por danos vacina no Programa Federal de Compensação contra prejuízio por Vacina (VICP). A relação causal convincente foi encontrada em 14 eventos adversos em certas vacinas.

    Para a maioria das vacinas, as mesmas empresas farmacêuticas e os profissionais médicos e agências governamentais que afirmam que as vacinas são seguras também admitem que não sabem quais são os efeitos colaterais. Você não pode pensar que uma vacina pode ser segura se ela causa algum prejuízo óbvio para uma criança específica, ou mesmo para a maioria das crianças. Isso é como dizer que jogar roleta russa é seguro quando o gatilho é puxado e não acontece nada, porque não havia bala na câmara. Cinco jogadores fugem e um jogador sofre uma fatalidade. Apenas uma bala para ser um jogo perigoso.

    O National Vaccine Injury Compensation Program pagou aos pais das vítimas de vacinação vários milhões de dólares em danos desde 1986 pelas mortes causadas por vacinas. Quantos filhos tem que morrer ou sofrer lesões permanentes, antes de parar de chamá-las seguras?

    2. As vacinas não cumprem o que dizem
    A maioria das pessoas acham que as vacinas extinguiram as principais doenças, como a poliomielite. A história da eficácia das vacinas, como a poliomielite, é convincente. A incidência de pólio foi cortada antes que a vacina foze introduzida nos anos de 1953 a 1957. A vacina, introduzido em 1957, não foi autorizada até 1962.

    no vaccines
    Os gráficos mostram a tosse convulsa com uma tendência surpreendentemente semelhante, bem como para outras doenças graves. A noção de que as vacinas contra pertussis ou poliomielite não seguem a partir dos fatos. Estas doenças importantes estavam em declínio antes da introdução das vacinas.

    Recentemente, nós começamos a ver surtos destas doenças (tosse convulsa, sa-rampion, poliomielite, etc.) e ocorre mais comumente entre crianças vacinadas em áreas agrícolas e durante o verão, quando os pesticidas são pulverizados.

    De acordo com Jim Oeste:
    Em junho de 2010, a tosse convulsa teve um aumento na Califórnia. Junho-agosto é a estação para epidemias de tosse convulsa, que também é a estação para programas de pesticidas, quarentenas e o pico de poluição do ar.

    3. As vacinas contêm muitos venenos tóxicos
    As vacinas contêm toxinas, tais como formaldeído, utilizados para embalsamamento e foi demonstrado que provoca possivelmente cancro; agentes MSG, fenol, anti-congelante que causam danos aos órgãos internos como o fígado e os rins (glicerina), e muito mais.

    Chumbo, cádmio, acetona, aluminio e mercúrio ainda podem ser encontrados em muitas vacinas. Potencialmente mais perigoso do que o mercúrio, timerosal, também podem ser encontrados em diversas vacinas. É um ingrediente que pode causar uma doença auto-imune, e dano neurológico.

    Estes venenos não são destoxificados através da digestão. Eles são injetados diretamente na corrente sanguínea.

    4. Crianças vacinadas são mais propensas à doença
    Vários estudos têm mostrado uma tendência que parece indicar que em vez de construir uma imunidade geral, as crianças vacinadas tendem a ter em maior risco algumas doenças que as crianças que têm constituída sua imunidade natural, sem a injeção de virus e veneno em seu sangue.

    Richard Moskowitz, MD, escreve: “Trinta e cinco anos de prática médica tem convencido-me que todas as vacinas carregam um risco significativo de doença crónica que é inerente ao processo de vacinação”

    A tabela a seguir mostra os resultados preliminares de um estudo indicando que mais estudos e pesquisas devem ser realizadas a fim de verificar se a hipótese óbvia é verdadeira: a vacinas distorcer as funções imunológicas e levam a crianças menos saudáveis em geral, e mais propensas a ficar doentes do que aquelas que não foram vacinados.

    mercola vaccine
    Outro estudo mostrou que crianças vacinadas são cinco vezes mais propensas a doenças que as crianças não vacinadas.

    5. As crianças podem construir os seus sistemas imunitários naturalmente
    O sistema imunológico pode ser incorporado naturalmente, e muitas das doenças contra as quais as crianças são vacinadas para ajudar a fazer o trabalho. A dependencia inicial a vacinação e imunização com os reforços de vacina repetidamente não parece criar um sistema imunológico mais forte, mesmo que o indivíduo esteja protegido contra estirpes dessa doença.

    Alimentos não saudáveis, poluição, pesticidas e sedentárismo contribuem para a má saúde e afectam a capacidade do sistema imunológico para funcionar bem. Mas a pesquisa até agora sugere que a imuno-afinidade construída através de meios naturais é muito mais saudável do que o que é oferecido por vacinas.

    6. Os benefícios da vacinação não são maiores que os riscos
    Minha conclusão final é que os riscos da vacinação não fornecem os benefícios suficientes para expor as crianças a este tipo de perigo. Muitos outros se sentem da mesma maneira. Há muitos recursos para pesquizar para aqueles que querem aprender mais sobre os perigos das vacinas antes de tomar sua própria decisão, ou a compreensão das decisões que os outros fizeram.

    Por Ann Marie Michaels, Cheeseslave.

Fonte: http://humansarefree.com/2013/11/top-6-reasons-not-to-vaccinate-your.html?utm_campaign=shareaholic&utm_medium=facebook&utm_source=socialnetwork

Anúncios

4 comentários sobre “6 razões para não vacinar seus filhos

  1. Estou gestante. Tenho intenção de não vacinar meu filho quando nascer. Mas como faço se no Brasil a vacinação é obrigatória. Como os pais que não querem vacinar os filhos podem obter tal benefício ?

    Curtido por 1 pessoa

  2. Gostei da explanação!!! Estava muito insegura pq meu filho e minha nora decidiram não vacinar sua filhinha recém-nascida! Pra falar a verdade eu e meu marido estávamos em pânico!!! Agora já estou mais tranquila, depois de ler esse texto! Obrigada 🙏

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s